Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. (Mateus 7:21)




   Você sabia que é possível orar, ser batizado, manter os dez mandamentos, ir à igreja e não ser necessariamente um cristão? Um cristão deve fazer também essas coisas, mas o ato de fazê-las, por si só, não significa que você seja um cristão.

   Jesus disse: "Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus." (Mateus 7:21).

   Há falsos crentes na igreja. Eles se sentam ao nosso lado, cantam as mesmas músicas, oram as mesmas orações, conhecem a linguagem cristã. Eles se fazem de cristãos, mas na verdade não o são.

   Sempre que alguma coisa boa surgir, você pode estar certo: haverá imitações. E o diabo é um imitador por natureza. Jesus contou uma história conhecida como a parábola do joio e do trigo, sobre um agricultor que plantou uma safra de trigo. Durante a noite, seu inimigo veio e plantou o joio (ou ervas daninhas) no meio do trigo. Mas foi somente quando o trigo brotou que se tornou evidente que havia joio no meio do trigo.

   Jesus disse que será assim na Sua próxima vinda. Haverá o genuíno ao lado da imitação. Haverá o verdadeiro ao lado do falso. Um falso cristão não é um cristão batalhador, porque todo cristão tem suas lutas. Todo cristão tem momentos de dificuldades. Um falso crente é um fingido. É alguém que está encenando algo. Ele se comporta de uma maneira quando está sentado na igreja, mas de outra completamente diferente em seu dia-a-dia.

   Se você é um verdadeiro cristão, isso será demonstrado pela maneira como você vive.