Parábola do bom samaritano

                                                                                  Você sabia?

Ao contrário de outras parábolas de Jesus, a parábola do bom samaritano é escrita apenas em um evangelho do Novo Testamento: O Evangelho de São Lucas, capítulo 10, versículos 29 a 37.
Nos deparamos com o termo "Bom Samaritano" em muitos aspectos da vida. Há uma cadeia de hospitais que funciona com o mesmo nome, há muitas organizações de caridade que incluíram essas duas palavras em seus nomes e, mais importante, é uma metáfora popular que é usada para direcionar uma pessoa para seu admirável trabalho. em termos de caridade e ajudando os necessitados e oprimidos. Mas nós realmente entendemos a verdadeira conotação dessa parábola? E mesmo que entendamos, podemos realmente dizer que praticamos isso em nossas vidas diárias? Ser um bom samaritano é ser religioso e caritativo? É isso que Jesus realmente quis dizer?

   O significado dessa parábola foi interpretado por muitos especialistas bem informados de várias maneiras; os leitores apenas esperando que a implicação real não se perca nessas diferentes interpretações. A seção seguinte apresenta uma breve explicação do que é a Parábola do Bom Samaritano, com os possíveis por quês e comos associados ao tema, cenário e personagens sobre os quais Jesus falou nesta história, ajudando-nos a entender a verdadeira intenção de Cristo quando ele divulgue esta história para as massas.


                               Significado da parábola do bom samaritano

   Se você leu muito a Bíblia, deve ter notado que muitas vezes Jesus respondeu às perguntas feitas a Ele no método socrático, ou seja, a resposta foi dada na forma de outra pergunta. Além disso, ele gostava de absorver seus ouvintes em parábolas, das quais vinha a essência da mensagem que ele pretendia transmitir. A parábola do bom samaritano foi dita quando Jesus foi questionado, e bastante testado, por um advogado a caminho da vida eterna. O que ele disse está escrito abaixo, um trecho de Lucas 10:25:37, de acordo com a versão inglesa do Novo Testamento.

   E eis que um advogado se levantou para pô-lo à prova, dizendo: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Ele disse-lhe: "O que está escrito na Lei? Como você o lê?" E ele respondeu: "Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma e com todas as tuas forças e com toda a tua mente, e com o teu próximo como a ti mesmo". E ele lhe disse: "Você respondeu corretamente; faça isso e viverá".

   Mas ele, desejando justificar-se, disse a Jesus: "E quem é meu próximo?" Jesus respondeu: "Um homem descia de Jerusalém a Jericó, e ele caiu entre os ladrões, que o despojaram e o espancaram e partiram, deixando-o meio morto. Agora por acaso um padre estava descendo aquela estrada e quando o viu ele passou do outro lado, da mesma forma que um levita, quando chegou ao lugar e o viu, passou do outro lado, mas um samaritano, enquanto viajava, veio até onde estava e, quando o viu, ele teve compaixão, foi até ele e atou suas feridas, derramando óleo e vinho, depois colocou-o em seu próprio animal e levou-o para uma estalagem, cuidando dele, e no dia seguinte tirou dois denários e Deu-as ao estalajadeiro, dizendo: 'Cuide dele e, o que quer que você gaste mais, eu vou recompensá-lo quando voltar'. Qual destes três, você acha, provou ser um vizinho do homem que caiu entre os ladrões? " Ele disse: "Aquele que lhe mostrou misericórdia". E Jesus lhe disse: "Vá e faça o mesmo".

    Esta parábola parece bastante fácil de entender. Qualquer leitor poderia claramente dizer que esta parábola fala de um homem bom que se recusou a afastar o homem roubado que precisava de ajuda, ao contrário do sacerdote e do levita. De fato, a maioria de nós seria capaz de se relacionar com isso, especialmente quando relembrar os casos em que fizemos, ou talvez ainda o façamos, negligenciar a necessidade dos outros, a fim de evitar o ônus desnecessário da responsabilidade. Este é apenas um aspecto dessa parábola. Antes de pularmos para o significado e a interpretação desta mensagem, primeiro vamos dar uma olhada no pano de fundo dessa história, para entender por que Jesus escolheu esses personagens e cenário, e o que está profundamente dentro dessa parábola.


                Contexto histórico

  Por que Jesus escolheu a estrada de Jerusalém para Jericó? Durante o tempo de Cristo, a estrada de Jerusalém para Jericó era um caminho bastante perigoso, e também era conhecida como 'A Passagem Sangrenta'. Era a estrada onde os ladrões costumavam atacar os viajantes e deixá-los morrer. A estrada era de fato uma tremenda para levar! Talvez a razão pela qual o sacerdote e o levita não tenham aparecido para ajudar o homem ferido foi: (1) Sabendo da verdadeira natureza do local, presumiram que ele já estava morto e que os ladrões ainda podem estar perto o suficiente; (2) Eles achavam que o homem poderia estar fingindo, só para atrair a atenção dos viajantes e roubá-los quando chegassem perto.

   Por que Jesus escolheu os caracteres de um sacerdote, um levita e um samaritano? sendo este último uma figura controversa entre seu público - os judeus? Bem, os judeus odiavam os samaritanos, até mais do que odiavam os romanos! Eles consideravam que os samaritanos eram de casta baixa porque se casavam com pagãos e não respeitavam as leis judaicas. Alegadamente, eles também haviam profanado o templo judaico com sangue de porco (algumas fontes dizem que ossos humanos) quando os judeus tentaram construir um templo em Samaria. Os judeus consideravam que eles e suas terras eram impuros, e até mesmo percorreram um caminho mais longo, para evitar entrar em seu território. O ódio foi retribuído pelos samaritanos também, principalmente por causa da maneira como os judeus os tratavam. A animosidade era bastante intensa e mútua.

   Foi a maneira de Jesus fazer sermões e ensinar citando os exemplos mais improváveis, neste caso, a compaixão de um samaritano, uma figura totalmente desconsiderada por seus ouvintes. Mas havia uma razão pela qual Ele fez isso.


                                        O significado por trás da parábola

   Bom Samaritano
   Quando se trata de ser compassivo com o próximo e com a definição de um vizinho, não há condições aplicadas! Vamos esclarecer essa afirmação citando os papéis que os três transeuntes interpretaram nessa história. Começando com o padre, quando viu o homem meio morto na estrada, ele passou do outro lado, evitando completamente o que viu. Agora, naqueles dias, os sacerdotes não tinham permissão para tocar coisas impuras, e algo como sangue ou um corpo morto era considerado absolutamente profanador. Embora a Mishnah dê uma exceção a essa regra no caso de corpos mortos negligenciados, o padre ainda preferiu ficar longe da fonte "impura". O mesmo pode ter sido o caso com o levita, que, juntamente com o medo de ladrões ainda estão por aí, e talvez a hesitação de se envolver em caso de uma pessoa desconhecida.


   De todas as outras tribos, Jesus escolheu o samaritano para ser aquele que era compassivo e prestativo com esse homem desconhecido, que era provavelmente um judeu. Não só ele parou, ele também limpou suas feridas com vinho e óleo, colocou-o em seu animal (o que significa que ele andou a distância restante) e levou-o para uma estalagem onde ele cuidou dele a noite toda. Não só isso, ele garantiu que depois que ele se foi, o dono da pousada cuidou dele, e também pagou-lhe dinheiro por isso, prometendo que ele pagaria o dinheiro extra gasto no caminho de volta. Ele desempenhou o papel de um verdadeiro vizinho, cuidando do homem ferido às suas próprias custas, sem esperar nada em troca. O Bom Samaritano não conhecia esse homem, não pensava se ele era judeu, amigo ou inimigo. Ele não se preocupou com os riscos envolvidos, a possibilidade de ele ser roubado também, tudo o que ele pensou foi que este homem estava em necessidade, e ele deve fazer tudo o que puder para ajudá-lo a sair de sua dor. Um conto verdadeiramente notável de compaixão incondicional!
    Através desta parábola, Jesus não apenas respondeu ao advogado, mas transmitiu a todos nós que quando se trata de amar o próximo, devemos estar prontos para servir os necessitados, independentemente dos parâmetros que nos dividem. Ele implica que a compaixão é o elo que une toda a humanidade, independentemente de onde eles vêm. Que nosso propósito final é amar e servir a humanidade. Todos os que vêm a você por ajuda, tudo o que você encontra em sua vida cotidiana são seus vizinhos e, para ser um Bom Samaritano, você deve estar disposto a servi-los de todo o coração.


                                        Interpretação Alegórica 

   Este ensinamento de Jesus é interpretado por muitos especialistas de diferentes maneiras. Uma das interpretações alegóricas mais populares é dada por Origen Adamantius, um dos primeiros teólogos cristãos de Alexandria. De acordo com sua interpretação, "O homem que estava afundando é Adão. Jerusalém é o paraíso, e Jericó é o mundo. Os ladrões são poderes hostis. O sacerdote é a Lei, o Levita são os profetas e o Samaritano é Cristo. O feridas são desobediência, a besta [animal] é o corpo do Senhor, a [hospedaria], que aceita todos que desejam entrar, é a Igreja. ... O gerente da [hospedaria] é o chefe da Igreja, a quem seu cuidado foi confiado e o fato de que o samaritano promete que ele retornará representa a segunda vinda do Salvador. "

   Outra interpretação indica que Cristo é o bom samaritano, porque é ele quem salva, nosso verdadeiro sabor. O derramamento de vinho e óleo nas feridas simboliza a cura de nossas feridas com arrependimento e libertação da graça; enquanto a estalagem na história é a Igreja, significando que a restauração e a cura são um processo gradual que pode ser alcançado através da Igreja, o lugar onde     Cristo nos mantém em segurança e cuidado.

Muitos teólogos temem que a intenção real de Jesus por trás dessa parábola talvez se perca em muitas interpretações. Talvez Ele apenas quisesse nos dizer tudo, sobre o verdadeiro caminho para o reino dos céus, e não colocar sua própria referência na história, ou, talvez, ele fez. O ponto é que, em meio a essas interpretações e análises, não devemos esquecer o objetivo principal por trás dessa parábola, amar o nosso próximo incondicionalmente de qualquer maneira possível. Para concluir, apenas citamos um trecho de um discurso proferido por Martin Luther King, Jr., usando essa parábola como referência: "Por um lado, somos chamados a representar o bom samaritano na estrada da vida; mas isso será apenas Um dia devemos vir para ver que toda a estrada de Jericó deve ser transformada para que homens e mulheres não sejam constantemente espancados e roubados enquanto fazem sua jornada na estrada da vida.A verdadeira compaixão é mais do que arremessar uma moeda a um mendigo; não é casual e superficial. Vem para ver que um edifício que produz mendigos precisa de reestruturação. "


Parábola do bom samaritano Parábola do bom samaritano Reviewed by Pastor Ivo Costa on outubro 20, 2018 Rating: 5

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.