Uma igreja para um povo feliz...

terça-feira, 28 de julho de 2020

O cristão diante da conduta moral

Já não é de hoje que o crente, juntamente com o mundo, vem vivendo uma crise de valores. Já não se dá mais valor, para o que realmente tem valor. A família tem sido o principal alvo, pois já não se senta mais em roda de família e quando por ocasião de uma data em especial. Tais como dia das mães ou dia dos pais, ou alguma outra data em especial, mesmos nestas datas a família se junta num lugar, porém estão distantes uma da outra. A única maneira de se comunicar é através de um aplicativo de celular, e não importa se a distância seja de meio metro um para o outro.

A bíblia é um livro que conservam os valores, porém ela já sabendo do que iria por vir nela está registrado: "A má conversação corrompe os bons costumes". É a mais pura realidade, embora a bíblia nunca saia de moda os seus valores já não está sendo prioridades em muitos lares. É exatamente com esta guerra de valores que o cristão constantemente precisa lidar.


Somente através das  Escrituras Sagrada é que conseguiremos resgatar a ética e por que não dizer também o bom senso, que parece que está sendo perdido no avanço do século XXI.


A terceirização dos educadores


Os pais (família) é a principal responsável na educação de vossos filhos, porém  houve uma terceirização na formação ética de nossas crianças. Com o pretexto de grande correria da maioria de nós, o tempo tornou-se um vilão e já não é nosso amigo na maioria das vezes. Na verdade a nossa realidade é que não ocupamos mais o nosso tempo com o que realmente deveria para nós prioridade, por isso é mais fácil transferir a culpa para o tempo.


 Com isso deixamos a educação dos nossos filhos para os professores ou então entregamos eles nas mãos de uma babá eletrônica tais como: celular, tablet, computador, vídeo game, netflix dentre muitas outras coisas. Assim sendo, a educação que seria nossa responsabilidades como educadores (pais) transferimos e terceirizamos e como consequência os valores éticos estão entrando em extinção. 


É bom lembrar que os valores de uma pessoa tem início na infância, portanto é importante se preocupar com o caráter de uma pessoa desde sua infância. Não podemos negligenciar esta etapa da vida de uma pessoa, pois nesta etapa tudo o que você ensinar para uma criança, ela terá maior facilidade para aplicar em sua vida adulta.


A importância dos ensinamentos bíblico




Nós como cristãos temos como regra de fé e prática as Escrituras Sagrada (bíblia); todos nós precisamos conhecer o que Deus nos ensina para nós em sua palavra (bíblia), com isso nós iremos agregar valores, que só encontramos nas Encontramos nela (bíblia).


A família é a base de tudo, por isso que a formação bíblica precisa ter como ponto de parte o seu próprio lar, para só depois aprimorar esta formação. 


Assim como um objeto possui o seu manual de instruções, para o equipamento tenho o uso correto, para ser prolongado a sua vida útil. Uma pessoa denominada de cristão, também precisa cumprir  o que a bíblia ensina como seu manual de instrução.



Jamais podemos nos esquecer, que quem está em cristo é nova criatura, ou seja, há uma conversão de vida e conduta quando ela entrega a sua vida para Jesus. Desta forma precisamos entender que os valores bíblicos absolutos não se alteram.



A importância da ética


Ética é um conjunto de valores princípios e valores morais. Quando dizemos que uma não tem ética, estamos dizendo que esta pessoa não confiável e que suas palavras e suas atitudes não tem valor.


Embora esta palavra não esteja escrita nas Escrituras Sagrada, no entanto o conceito da ética está interligada com os ensinamentos bíblicos. Ser ético é muito importante, caso contrário iremos perder a nossa fé na humanidade, porém quando encontramos alguém regido pela ética, as nossas esperanças de um mundo melhor se renovam.


Ética e moralidade se confunde, isto porque elas estão interligadas. Não é possível falar de ética sem mencionar os aspectos morais.


Conhecendo os aspectos Morais


Consciência


A consciência é o ponto de partida para a moralidade. Somente uma pessoa consciente consegue separar o certo, do errado. Podemos definir a consciência de forma ilustrativa como se fosse uma voz que sopra em nossos ouvidos, quando fazemos algo que sabemos que é errado.


É difícil acreditar que uma pessoa não possui consciência. Pode ter certeza que bem lá no fundo, uma pessoa que faz algumas atrocidades, haverá um momento que ela colocará a “mão na consciência” e isto vai pesar, obrigando esta pessoa passar a fazer o que é certo.


Como cristãos é o Espírito Santo, que volta e meia aciona a nossa consciência, a ponto de uma pessoa não ficar em paz, quando por impulso ou por fraqueza faz algo de errado. Nestes momentos a consciência fala mais alto e só ficaremos em paz, quando nos esforçamos para consertar o erro.


Integridade


É o mesmo que ser inteiro, ou seja, a pessoa não é parcial. A pior coisa é quando uma pessoa não tem integridade, pois a pessoa assim aparenta ser uma pessoa que na verdade ela não é.  Podemos dizer que uma pessoa íntegra é honesta, completa, confiável.


A integridade na vida de um cristão, não é uma opção, mas é um compromisso. Por isso que a bíblia nos ensina que nossa palavra deve ser sim, sim ou não, não. Não podemos de maneira nenhuma sermos imparciais.


Pureza


Como cristão esta palavra é mesmo que santidade. Ser puro é não ter mistura e para não termos misturas, precisamos ser separados (santos).


Quando dizemos que uma pessoa tem um coração puro, estamos afirmando que não há espaço para a maldade em seu coração, pois a maldade e a bondade não conseguem se misturar.


Amor 


O amor é a marca registrada do cristianismo. Desta forma não há não é possível que uma se denomina como cristão não consiga expressar o seu amor ao próximo, pois o amor é bombeado em sua veias,ou seja, sua existência depende da circulação do amor.


Podemos afirmar que o amor é a base da moral, pois quem ama respeita,quem ama honra, quem ama sempre procura fazer o que é certo, para resumir afirmamos que amor é um presente de Deus para nós





Sintomas do orgulho


O orgulho assim como as doenças físicas, também apresenta sintomas que é possível ser identificado com facilidade uma pessoa orgulhosa, devido a estes sintomas, e assim como toda doença precisa ser tratada, para que esta doença não resulte em óbito espiritual, todavia precisamos conhecer pelo o básico destes sintomas para tratá-lo, vamos lá?


Se acha superior

Todo orgulhoso tem um exagerado senso de superioridade, o orgulhoso jamais quer ficar para trás, ou muito menos estar no mesmo nível, ele sempre quer estar na frente, ele sempre quer ser o melhor em tudo, em hipótese alguma ele reconhece a superioridade de outrem. 

O orgulhoso se torna uma pessoa irreverente e insubmisso, pois não consegue se submeter a nenhum tipo de autoridade, e não é isto o que a bíblia nos ensina, ela nos ensina a considerar os outros superiores a nós, e isto é uma tarefa impossível para uma pessoa orgulhosa.

Pensa que a razão está sempre desse lado

Isto ocorre porque o orgulhoso tem dificuldades para reconhecer seus erros, ele se esquece que o homem é composto por qualidades e também por defeitos, porém ele só consegue encontrar qualidade em si próprio e em mais ninguém. 

E se algum dia ele cometer algum erro, para se justificar ele tenta levar a razão para seu lado, e não importa o que você diga ou faça, ele leva a razão sempre para o seu lado.


Não sabe receber críticas

Mesmo aquelas que chamamos de críticas construtivas, se é que realmente existe críticas construtivas, o orgulho jamais estará aberto para críticas, uma vez que ele se sente perfeito. 

Não está aberto para mudanças, mesmo aquelas que realmente são extremamente necessárias

O orgulhoso se sente totalmente correto, se alguém precisa de algum tipo de mudança são os outros que devem mudar, ele jamais encontrará humildade suficiente para aceitar mudanças, o seu ego falará sempre mais alto.


Não aceita o sucesso alheio

Se tem alguma coisa que o orgulhoso detesta é reconhecer o sucesso alheio, isso porque ele se sente o máximo, e reconhecer que outros podem serem bem-sucedidos se torna uma missão impossível.

De uma coisa pode ter certeza, o orgulhoso além de se tornar uma pessoa difícil para se conviver, ele se torna uma pessoa preconceituosa, e isso é fruto de uma mente apequenada e infrutífera, que incapacita-o de receber os outros em pé de igualdade, ele se esquece que o sol nasce para todos, e que um dia todos terão o mesmo fim.


Prejuízos de ceder à ira


“Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. Não deis lugar ao diabo”.


É muito comum uma pessoa chegar a um ponto, em que tenha necessidade de liberar uma certa "ira", mas até que ponto uma pessoa pode se irar? Quando a palavra de Deus nos diz "irai-vos", será que ela está nos dando permissão para vivermos irados? É preciso entender muito bem esta palavra, para que não acontece que venhamos tirá-la de seu contexto, e venhamos dar lugar a ira.


Na hermenêutica nos ensina da seguinte forma: As Escrituras interpretam as Escrituras, ou seja, se quisermos entender algum versículo bíblico, conseguimos este feito com as próprias Escrituras, isto mesmo é a própria Escritura que se interpreta automaticamente, portanto quando você estiver alguma dúvida sobre qualquer versículo contido nas Escrituras procure analizar versículos anteriores, e versículos seguintes e versículos semelhantes. 


É necessário analisar muito bem o texto bíblico, para desta forma chegar a uma conclusão lógica, e desta maneira é que conseguiremos o real sentido de tal versículo.

  

Com base nestes pontos vamos tentar entender o que quer dizer:"Irai-vos"


A primeira coisa que precisamos examinar é o que está registrado em Efésios 4.17 E digo isto, e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade da sua mente. 


E neste versículo entendemos que precisamos ter uma mudança de atitudes, "não andeis mais", significa deixar de fazer o antes de nossa conversão a Cristo fazíamos de errado. 


Observem o que o versículo seguinte em Efésios 4. 18 diz: Entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração; "separados da vida de Deus". 


Precisamos analisar uma coisa quando vem sobre nós uma ira, esta ira, está nos aproximando ou nos separando nossa comunhão com Cristo? Ela está sendo benéfica ou maléfica?

   

Jesus disse: Aprendei de mim, que sou humilde e manso. Já o apóstolo Paulo diz em Efésios 4.20 Mas vós não aprendestes assim a Cristo. 


Se quisermos combater a ira que vem sobre nossa vida, somente com humildade e mansidão conseguiremos vencer tal ira. Se quisermos viver uma vida sem ira e contendas, precisamos urgentemente aprender o que o Senhor Jesus nos ensina em cada dia, e em cada situação. 


Precisamos não somente ouvir os ensinamentos de Jesus, mas precisamos colocá-lo em prática.

   

Efésios 4.22 diz: Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; " Despojeis do velho homem", a ira é coisa existente em nosso passado, é coisa existente no velho homem, na antiga criatura, hoje como filhos de Deus somos novas criaturas, e as coisas do passado precisam ficar para trás. 


Precisamos entender que uma vez que chegamos ao conhecimento da verdade, ela nos liberta. E uma vez que estamos livres não podemos mais dar ocasião a carne. 


Revistais do novo homem; é o conselho da palavra de Deus para sua vida. Efésios 4.24 E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.


A devida interpretação


Mas como deveremos interpretar este versículo, "irai-vos"?A grande verdade é que todo homem e sem exceção, estão totalmente vulnerável e sentimos em algum momento o sentimento de ira.


É uma realidade a qual não podemos fugir, porém há uma grande diferença entre a pessoa cheia do Espírito Santo para as outras pessoas, em relação  na forma em que reagimos a esta ira. 


Irar é normal e compreensivo, agora anormal e incompreensível é alimentar a ira que está em nós. Não se ponha o sol sobre a vossa ira. 


Não podemos alimentar a ira dentro de nós, não podemos dar o combustível para que a ira dentro de nós possa queimar e consequentemente arder, e não podemos permitir em hipótese alguma que nossa ira deixe de ser um sentimento e se transforme em pecado. Portanto meus amados irmãos "Ireis, mas não pequeis". 


Conclusão


A palavra de Deus nos diz: “ Pelo fato de se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriaria.” E quando nos falta amor a imoralidade toma conta de nós. 


Se nós analisarmos os mandamentos de Deus, iremos perceber que o amor também é base dos mandamentos. O primeiro e o maior mandamento é amar a Deus, com toda sua força e com todo o seu entendimento. O segundo é amar o próximo como a ti mesmo.


Jesus ainda foi além. Ele disse: “Um novo mandamento vos dou que amem o seu próximo, assim como eu vos amei.


Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Definition List

Unordered List

Support