Uma Visão Bíblica da Terra Santa


 

Por que Israel é chamado de Terra Santa?

Resposta: Essa resposta requer uma breve revisão das escrituras. Abrão, mais tarde chamado de Abraão, acreditava que Deus o havia chamado para se mudar de Ur para Canaã. Era um país antigo localizado na atual Israel, Cisjordânia, Gaza, Jordânia e partes da Síria e do Líbano. Abraão recebeu a promessa da terra da qual viria uma grande nação e uma pátria.

Gênesis revela muitas das primeiras histórias bíblicas, incluindo a história do dilúvio e o relato das alocações de terras aos filhos e netos de Noé. O capítulo 9: 20-27 revela a maldição de Cão, que era filho de Noé. A maldição incluiu a conversa de ser "um servo de servos". É dito ser um prenúncio e justificativa para Israel ter tomado a terra dos cananeus como sua Terra Prometida. O país foi nomeado em homenagem ao neto de Noé, Canaã. Os três grandes patriarcas da Bíblia são Abraão, seu filho Isaque e Jacó, filho de Isaque. O patriarca Jacó recebeu o nome de Israel de Deus em Gênesis 32:28. Os 12 filhos de Jacó se tornaram líderes das Doze Tribos de Israel.

Mais tarde, os israelitas vagaram pelo deserto. Já foi dito que o que deveria ser uma viagem de 11 dias levou 40 anos porque eles caminharam “por medo, não pela fé e foram desobedientes”. Mais informações podem ser encontradas em Números 13: 1-14: 38.

Por fim, Moisés os conduziu ao seu destino. Eles cruzaram o rio Jordão e reivindicaram Canaã como sua pátria. Era a terra que Deus havia prometido a eles; portanto, era a Terra Santa. Deus instruiu Moisés em Números 20: 8: “Pegue o cajado, e você e seu irmão Aarão reúnam a assembléia. Fale com aquela pedra diante de seus olhos, e ela derramará sua água. Você tirará água da rocha para a comunidade, para que eles e seus animais possam beber. ” Moisés não honrou as palavras de Deus. Deus disse a ele em Números 20:12. “Porque não crestes em mim, para me santificar aos olhos dos filhos de Israel, portanto, não trareis esta assembléia para a terra que eu lhes dei.” Moisés viu a Terra Prometida do Monte Nebo. Quando ele morreu, “Ele foi enterrado em Moabe, mas até hoje ninguém sabe onde está seu túmulo”. Deuteronômio 34: 6

Israel é sagrado para judeus, cristãos, muçulmanos. Essas três religiões patriarcais estão fortemente ligadas a Jerusalém. A parte antiga de Jerusalém é dividida em quatro bairros históricos: cristão, muçulmano, judeu e armênio. O design de cada trimestre representa a cultura de cada religião.

Muitas estruturas e áreas em Jerusalém são sagradas para o Judaísmo, Cristianismo e Islã. A Mesquita Al-Aqua, a Igreja do Santo Sepulcro, a Cúpula da Rocha, o Muro das Lamentações, a Grande Sinagoga são alguns dos muitos locais históricos importantes. A sacralidade desta área fornece um espaço espiritual para muitos adoradores. A parede de pedra contém alguns dos locais de culto mais sagrados do mundo.

Em uma nota pessoal, a tristeza que surge do conflito palestino-israelense não deve ser negligenciada e há muito precisa de resoluções viáveis. Os perigos da área precisam ser enfrentados por meios pacíficos.

Os cristãos consideram a terra de Israel santa porque é o local de nascimento de Jesus e é a terra na qual ele andou para espalhar sua palavra. Foi a terra de sua crucificação e ressurreição. Jesus era judeu e considerava Jerusalém como a Terra Santa no contexto religioso judaico. Como cristão, lembro-me de caminhar na Via Dolorosa, “Caminho das Dores”, onde Jesus caminhou e carregou sua cruz até o Calvário. O hino “Eu andei hoje onde Jesus andou” veio à mente. Vou guardar a memória para sempre.

Atualmente, a mídia nos mantém informados sobre nossos problemas atuais. É como se tivéssemos tido um vislumbre do mundo de Jó. Agradeço aos trabalhadores, cuidadores e funcionários que com justiça e bravura mantêm a trêmula sociedade unida. Minha lista de oração cresce a cada dia. “O Pai da compaixão e o Deus de todo o conforto, que nos conforta em todas as nossas dificuldades, para que possamos confortar aqueles que estão em qualquer dificuldade com o conforto que nós mesmos recebemos de Deus.” de 2 Coríntios 1: 3-4

Postar um comentário

0 Comentários